quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Casa Ziraldo Abre as Portas Para o Passado

Objetos antigos estão em exposição
DE VOLTA AO PASSADO -  Exposição que acontece na Casa Ziraldo de Cultura traz memória e cuidado com objetos raros 

CARATINGA- Ferros de passar de roupa, incluindo à brasa; rádios; toca disco; secador de cabelo; pratos em porcelana; panelas; impressos; LPs; bicicletas; máquina de escrever; máquina fotográfica; aparelhos telefônicos; máquina de costura e muitos outros artigos. Tudo isso está à disposição do público desde a última segunda-feira (28), na Casa Ziraldo de Cultura. 
A Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais propõe para este ano de 2017, o tema ‘Outros olhares sobre o patrimônio cultural’. Por isso, em Caratinga, o projeto é realizado com a exposição ‘De volta ao Passado’. 
De acordo com Lourdes Rodrigues, diretora do Departamento de Cultura, o município fez a inscrição para participar com uma exposição de antiguidades, por acreditar na necessidade de divulgar objetos que trazem consigo a memória e a história. “A ideia foi o que o tema da Jornada esse ano é “Outros olhares para o patrimônio cultural”, então o que que nós pensamos, às vezes o olhar está voltado só para os bens imóveis, casarões antigos, arquitetura e esquecem de outros bens, considerados bens móveis e que também fazem parte da nossa memória”. 
Outro ponto foi a valorização dos colecionadores, que cederam inúmeros objetos para ficarem expostos durante toda a semana. “É muito importante porque hoje em dia são raros e são pessoas que guardam tesouros em casa. A gente quis valorizar os colecionadores, inclusive até aproveito a oportunidade para agradecer e penso que eles merecem ser valorizados, porque eles valorizam aquilo que a gente guarda na memória”, acrescenta Lurdinha. Ainda no segundo dia, a exposição já chamava atenção, principalmente de estudantes, que ficaram impressionados com as antiguidades. “Está sendo bem visitada, principalmente por crianças acompanhadas de adultos, onde o adulto explica para ela sobre aquele objeto, objeto que o adulto conheceu, mas a criança não teve oportunidade e está conhecendo agora. Os celulares então chamam muito atenção das crianças, porque elas não conheciam aqueles aparelhos grandes, que agora renovaram. Tudo tem chamado muito a atenção, bicicletas, temos uma daqui dos anos 50”. 

OLHAR DE COLECIONADOR 

“Tudo começou com essa pedrinha, que estou com ela aqui no bolso. Estava em Belo Horizonte, em 1981 e andando pelo quintal de um primo meu vi essa pedra no chão, achei bonita, até datei (30/10/81) e a partir disso aqui, guardei ela, fui achando outras coisas e comecei a colecionar. Virou essa paixão”. A recordação é de Jucelio Neves de Paula, 51 anos, motorista rodoviário, responsável por ceder a maioria dos objetos que estão em exposição. Esta já é a segunda vez que ele tem a oportunidade de participar de uma mostra com esta finalidade. 
Mas, vida de colecionador não é fácil e o que eles entendem por cuidado com a memória, na maioria das vezes ganha outra interpretação para a sociedade. “O glamour todo está sendo hoje, porque a gente é visto como um ‘acumulador de lixo’. Passou, deixo de ser um colecionador e volto a ser aquele ‘acumulador de lixo’ de novo (risos)”. É na garagem de casa, que Jucelio chama carinhosamente de ‘museu’, que todos os objetos ficam guardados. O espaço chama atenção e o colecionador sempre se mostra receptivo a quem tem curiosidade de conhecer o acervo. Mais que armazenar os objetos, o que pode parecer obsoleto tem utilidade para ele. “Fui convidado pela Lurdinha devido à quantidade de peças que possuo. E é um momento de poder mostrar isso aí, porque são peças raras que muitas pessoas não tiveram oportunidade até de viver isso. O toca disco mesmo, costumo passar música nele; as furadeiras estou sempre mexendo. Estou sempre cuidando, passando um paninho e comprando mais peças. Preciso mesmo é fazer uma área para conservar melhor”. 
Para o colecionador, a exposição traz à mente dos visitantes que viveram aquela época um passeio ao passado. Já para quem não viveu aqueles momentos, é possível refletir que o passado é a base para entender os avanços atuais. “Certas coisas aqui são até difíceis de acreditar que foram usadas, são coisas muito rústicas, se for analisar por exemplo esses ferros, são coisas impensáveis nos dias de hoje. São coisas às vezes de 30 a 35 anos atrás, mas a evolução foi surgindo e essas coisas viraram coisas do passado, mas ao mesmo tempo é um passado recente. Isso prova que a evolução está sendo cada vez mais rápida”. 
 Os artigos também mostram o perfil do consumidor de acordo com a época. O que hoje está ao alcance das pessoas com as facilidades de pagamento e aumento do poder aquisitivo, pareciam distantes para a maioria da população, como observa Jucelio. “As pessoas até para darem valor às coisas de hoje, precisam ver essas coisas do passado, pois às vezes acham que tem alguma dificuldade, mas a questão toda foi lá atrás, as dificuldades que nós tivemos. Uma peça dessa por mais rústica que fosse, era caro para adquirir. Os ferros não eram acessíveis para todo mundo, até porque as pessoas guardavam roupas nesses baús, não passavam”. 
 A exposição segue até a sexta-feira (1º), no horário de 8h às 18h. Jucelio deixa o convite para este verdadeiro passeio pelo passado, que se mantém vivo pelo cuidado dos colecionadores. “Vale a pena. É uma oportunidade. E quem sabe as pessoas passam a ter esse hábito de guardar também, preservar a história. Imagina se eu e os outros colegas que estão expondo aqui não tivessem essa coragem, falo coragem porque a gente não é bem visto de ficar guardando essas coisas. Seria bom que as pessoas tivessem consciência de guardar. Até porque somos carentes de cultura na nossa cidade. É uma maneira de preservar a história”.
A maioria dos objetos expostos são do colecionador Jucélio




 



Exposição vai até 1º de setembro

Lourdes, Diretora de Cultura

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Exposição de Objetos Antigos na Casa Ziraldo

A exposição tem como tema "De Volta ao Passado"

A Prefeitura de Caratinga, por meio do Departamento de Cultura, realiza a 6º Jornada do Patrimônio Cultural, na Casa de Cultura Ziraldo, de 28 de agosto a 01 de setembro. 
A Jornada Cultural é uma ação promovida pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais IEPHA/MG, e tem por finalidade mobilizar municípios, entidades e agentes culturais para desenvolverem atividades que promovam, valorização e preservação do patrimônio cultural. 
Máquinas de escrever e rádio antigos serão expostos Cada município tem liberdade de escolher o tema que será abordado. 
A inscrição e tema de Caratinga está firmada na Exposição “De volta ao passado”. Nela, são apresentados objetos antigos de colecionadores e interessados na perpetuação de nossa memória. Entre os objetos são encontrados: coleção de ferros de passar, incluindo à brasa; rádios; toca disco; secador de cabelo; pratos em porcelana; panelas; impressos; LPs; bicicletas; máquina de escrever; máquina fotográfica; aparelhos telefônicos; maquina de costura e outros.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Caratinga

De 28 de agosto a 1º de setembro na Casa Ziraldo de Cultura

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Casa Ziraldo de Cultura Recebe Exposição de Fotos, Troféus e Motos Antigas

Lambreta exposta na Casa Ziraldo de Cultura

As fotos expostas, os troféus conquistados em vários eventos e as motos antigas, mostram a paixão pelo motociclismo.
Em Caratinga existem cerca de 12 moto-clubes que se uniram em prol de realizar a exposição das relíquias, em parceria com a Associação dos Motociclistas de Caratinga – Amoreca. 
A exposição é aberta ao público e está acontecendo na Casa Ziraldo de Cultura desde a segunda-feira (24/07), com previsão de se estender até a próxima sexta-feira (28/07). 
A iniciativa da exposição que já está em sua segunda edição, se deu pelo fato de no dia 27 de julho ser comemorado o dia do motociclista. 
Essa é uma oportunidade para aqueles que são loucos por moto, se unirem em um só propósito. Dico Costa faz parte de do moto-clube de Caratinga ‘’Monarcas do Asfalto’’ e conta como é satisfatório fazer o que gosta e que o seu grupo é composto por sua esposa e seu filho. 
E a comemoração não para por aí, a programação se estende durante toda essa semana. Está prevista para acontecer nesta quinta-feira (27/07), uma missa às 19 horas na Catedral de São João Batista em Caratinga, onde os motociclistas receberão a benção sobre os veículos. 
E no sábado para fechar a semana com chave de ouro, será oferecido um café da manhã na Honda, para todos os motociclistas que estiverem presentes.







segunda-feira, 22 de maio de 2017

Artista plástica Expõe na Casa Ziraldo de Cultura.

A exposição é intitulada "Os Primeiros Pingos da Chuva"

 Casa Ziraldo de Cultura recebe exposição intitulada “ Os Primeiros Pingos de Chuva”. A abertura aconteceu no dia 18 de maio e se estenderá até o dia 28. 
 A artista plástica Iran Batista Corrêa escolheu a cidade de Caratinga para fazer sua primeira exposição formal. As telas estão à mostra na Casa Ziraldo de Cultura, no centro da cidade. 
 Iran conta que explora as emoções no momento em que faz as obras, e que o foco maior dos quadros é o horizonte feminino. 
 A artista, que sempre gostou de pintar, tem um ateliê em casa e diz que resolveu se dedicar mais ao contexto da pintura. 
 As obras chamam a atenção por proporem temas diversificados. Entre os quadros expostos, há um intitulado “As estrelas estão caindo”, que retrata, de maneira sutil, a realidade política do Brasil.



Iran Batista Corrêa

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Feira de Artesanato na Casa Ziraldo de Cultura: Oportunidade de Presentes Para o Dias das Mães

A Feira é uma boa oportunidade encontrar um presente para sua mãe

A Casa Ziraldo de Cultura recebe até sábado, véspera do dia das mães, a Feira de Artesanato do Clube da Feliz Idade, entidade mantida pelo Lions Clube Caratinga Itaúna. 
Dentre os produtos em exposição, estão vários trabalhos feitos em bordado, crochê, tricô, patchwork e muito mais. São artigos de cama, mesa e banho que podem ser adquiridos como presentes especiais para as mães. 
Dona Edméia Laia, que é uma antiga voluntária, conta que o Clube da Feliz Idade surgiu há quase 20 anos como uma oficina para troca de conhecimentos em artesanato. 
O grupo tem encontros semanais e é voltado para pessoas de todas as faixas etárias, mas a maioria das participantes são idosas, que encontraram nesses encontros uma grande terapia ocupacional, fazendo amizades, aprendendo novas atividades e tendo ainda a oportunidade de aumentar a renda com seus trabalhos: “O Clube da Melhor Idade é um lugar de aprendizado, lazer e qualidade de vida para as idosas, a oportunidade para elas saírem de casa e fazerem coisas novas. Aqui dividimos todos os nossos conhecimentos sobre artesanato. Ensinamos e aprendemos, mas quem quiser pode vir também só para passar o tempo e bater papo. É um momento de descontração”. 
A coordenadora do grupo de artesãs da entidade e organizadora do evento, Eliana Miranda, conta que a Feira acontece duas vezes por ano, geralmente em maio e dezembro, e o objetivo é apresentar à população de Caratinga os lindos artesanatos feito pelas participantes, com exposições de inúmeros tipos de trabalho: “Cada artesã tem uma característica, uma técnica. E nós vimos a necessidade de divulgar esses diversos trabalhos, então nos unimos e há 3 anos realizamos a feira”. 
Quem comprar qualquer ítem da Feira concorre a cestas de artesanato com presentes para o Dia das Mães. 
A Casa Ziraldo de Cultura, que abriga a Feira, fica na Avenida Benedito Valadares, no centro de Caratinga. 
E para quem deseja participar do Grupo da Feliz Idade, os encontros acontecem semanalmente às quintas-feiras, entre 13:30 e 16:00 no Lions Clube do Bairro Limoeiro.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Telas, Cores e Arte.

Artista plástico Armando Garcia


Ele estudou no Colégio São José e ao término do curso, seu pai foi chamado pelo reitor e orientado a matriculá-lo na escola Belas Artes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em 1951, aos 21 anos ele se tornou professor de Artes. 
 O artista plástico Armando Garcia, 85 anos, encerrou na última sexta-feira (7) a exposição “Telas, Cores e Arte”, que estava disponível na Casa Ziraldo de Cultura. 
No local, diversos quadros retratando a natureza em cores. A criatividade chamou atenção do público. Armando se declara admirado pelas belezas naturais. 
Em entrevista ao DIÁRIO, Armando contou que após estudar no ‘Belas Artes’, mudou-se para Caratinga, onde começou a trabalhar como comerciante e precisou deixar de lado o ofício de pintar. “Montei uma loja veterinária, era novo ainda, tinha que trabalhar, foi a primeira de Caratinga. Passei 30 anos sem pintar. Depois eu aposentei e comecei a pintar novamente”. O aposentado teve seus quadros expostos na Casa Ziraldo de Cultura Armando se define como sempre “muito amigo da natureza”. E é observando ela que o aposentado busca inspiração para suas obras. “Gosto demais de pássaros e bichos. Sempre olhei a maravilha que Deus fez. Vejo as peças na rua, chego em casa e passo pra tela. Viajo muito, tenho casa no Rio de Janeiro e aqui. De vez em quando vou pra lá e o que vejo, gravo na mente. As cores ficam por minha conta”. Carvão fusain, tinta óleo, tela e pincéis viram obra de arte nas mãos de Armando. 
Ele explica um pouco mais sobre a confecção das peças. “Normalmente demora uns 15 dias para finalização, porque tem que secar. Trabalho com tinta óleo que demora mais a secar. Não trabalho com a tinta acrílica; seca muito rápido, mas não dá o efeito que eu quero. Moro num apartamento com dois quartos, eu e minha esposa, então o outro quarto uso como atelier”. 
 Questionado se tem uma peça preferida, Armando se mostra um completo apaixonado e afirma que não tem uma preferência específica. “Gosto de todas elas. Tudo faço com amor. Acho que a maravilha taí. Me esqueço da vida. Você quer emagrecer? Pinta quadros. Você esquece de comer, beber água. Às vezes entro pela noite a dentro pintando”. 
 O aposentado trabalha com encomendas. Os preços dos quadros variam entre R$ 80 e R$ 300. Quem esteve na Casa Ziraldo na última quinta-feira (6), observou a diferença em relação ao início da exposição. Muitos quadros já não estavam mais disponíveis. “Tem muito buraco aí, mas é porque o pessoal de fora quer pagar os quadros e levar (risos). 
O pessoal daqui da cidade eu coloco ‘vendido’ e terminando faço a entrega dos quadros”. Devido ao sucesso da exposição, Armando já planeja uma segunda edição. Mas, ele já adianta que será preciso esperar. É preciso fôlego para fabricar tantas peças em tempo hábil, uma vez que a maioria dos quadros já foi vendida. “Sou vizinho do Edra. A mãe dele via os quadros e comentou: ‘Por que o senhor não faz uma exposição com o meu filho lá?’. Mas, aí fechou com a troca de prefeito e agora a Lurdinha, que está mexendo com essa área, me convidou pra fazer essa exposição. Marquei essa semana toda e estão querendo que eu prolongue. Para o mês que vem é mais difícil porque eu tenho que pintar mais quadros, vendeu muito aqui. Estou querendo fazer pra Junho, aproveitar a festa da cidade”. Ele que já teve que deixar os pincéis e as telas de lado quando foi trabalhar como comerciante, agora não pretende fazer o mesmo. Armando quer pintar muito mais cores. “Agora a única coisa que tenho pra fazer é isso, com 85 anos, aposentado. Vou mexendo com meus quadrinhos, isso é vida pra mim. Fico por conta de pintar (risos). 
Comecei a ensinar minha esposa, inclusive tem um quadro aqui que é dela. Mas, ela gosta mais de abstrato. Eu procuro mostrar realidade do local, das coisas. Acho beleza em tudo da natureza. Natureza é arte. Deus é perfeito, então estou copiando as coisas que ele deixa aí”.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Exposição "Entre Formas e Cores"

A exposição foi composta com trabalhos de treze artistas

De 21 a 25 de março aconteceu na Casa Ziraldo de Cultura a Exposição "Entre Formas e Cores" nas categorias: desenho em preto e cinza; desenho a lápis de cor e pintura óleo sobre tela. Riquíssima, a exposição é composta pelos trabalhos de 13 artistas, sendo eles o Professor Artístico Leonardo Xavier e seus alunos: Ana Maria; Terezinha; Rosânea ;Vânia; Ivani; Wesley; Carlos Gabriel; Matheus Valeriano; Lucas Fernandes; Lucas Oliveira; Wemerson; e Marco Antônio. 
Com entrada é franca e o evento buscou promover a arte e a cultura local, facilitando o acesso da comunidade a um fragmento do universo das artes plásticas. Também busca prestigiar nossos artistas e fomentar a valorização de seus trabalhos. 
“São exposições como estas que fomentam e valorizam nossa cultura. E o objetivo da Superintendência de Cultura é dar oportunidade aos artistas, principalmente os de Caratinga para divulgarem, exporem sua arte. E a Casa Ziraldo de Cultura está de portas abertas para acolhê-los.” Disse Lourdes Rodrigues, Diretora de Cultura da Superintendência de Cultura e Esportes de Caratinga. 



1º Afro Cult Caratinga na Casa Ziraldo de Cultura

Alunos da Rede Municipal visitam a exposição

A Prefeitura de Caratinga através da Superintendência de Cultura e em parceria com a Secretaria de Educação, realizou o 1º AFRO CULT CARATINGA. 
O evento aconteceu na Casa Ziraldo de Cultura do dia 14 até o dia 17 de março, trazendo detalhes da vida de personalidades negras. Negros que se destacaram através do esporte, da música, das artes e principalmente por seus ideais. 
As crianças do 5º ano da Escola Municipal Barquinho amarelo visitaram a exposição na manhã desta terça-feira e puderam conhecer melhor a cultura afro. 
A diretora da escola, Carla Cristian destacou a importância do evento. “ Nó vivemos em um mundo onde infelizmente ainda existe o racismo. Essas crianças estão tendo hoje a oportunidade de conhecer parte da cultura negra para que entendam que todos somos iguais independente da cor da pele”. 
Fotos de pessoas como o ex presidente americano Barack Obama, o ativista político Martin Luther King , o cantor caratinguense Agnaldo Timóteo e atriz vencedora do Oscar, Viola Davis, são apenas algumas das centenas de fotos em exposição. 
A Presidente do Conselho Municipal de Igualdade Racial, Giuliana Quintino realizou uma palestra para os alunos.“É muito importante ver esse trabalho, esse resgate da cultura negra através da educação infantil. A partir daí é que vamos mostrar para as crianças que somos todos iguais e temos os mesmos direitos”. 
Poliana Tupinambá que é Chefe do Setor de Igualdade Racial da Superintendência de Cultura de Caratinga, contou para as crianças um pouco da história de cada personalidade ali exposta e destacou a reação dos alunos. “Eles estavam muito atentos, prestando atenção em tudo que foi dito”. 
Fotos de pessoas anônimas também estão em exposição. “A idéia surgiu do Caratinga Afro em fotografar pessoas negras daqui da cidade, então nós conseguimos mostrar as duas coisas, a lembrança e a beleza como um todo. A idéia é realmente mostrar que há beleza em tudo que quer ser belo”. 




quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Lions Club Itaúna Realiza Feira de Artesanato da "Feliz Idade" na Casa Ziraldo de Cultura

Algumas das Artesãs/organizadoras da Feira de Artesanato
Projeto mantido pelo Lions Caratinga Itaúna 
expõe e comercializa sua arte 

 CARATINGA – Teve nesta segunda-feira (12), na Casa Ziraldo de Cultura, a exposição de vários produtos confeccionados pelas participantes do “Clube da Feliz Idade”, mantido pelo Lions Clube Caratinga Itaúna, há 20 anos, atualmente dirigido pelo casal Celestino Bacelar e Margareth. 
Coordenado por Maria do Socorro de Farias, com o apoio de voluntárias como as donas Iris Junqueira, Eni e Glorinha e professoras Geralda Rocha e Ana Faiçal, o grupo de senhoras se reúne todas as quintas-feiras, de 13h as 16h, na sede do Lions, no bairro Limoeiro. 
 Para as dezenas de mulheres que integram esse projeto, o grupo já se tornou uma família. Participam, também, pessoas voluntárias, como a artesã Eliana Miranda, que tem levado a sua experiência às senhoras e aprendido com elas outras habilidades. Na exposição podem ser encontradas lindas peças. 
Na exposição podem ser encontradas lindas peças de artesanato, patchwork, crivo, crochê, tricô, bordados diversos, pedrarias, enfim, vários produtos, com preços baixos e o visitante pode adquirir um ótimo presente, a partir do desembolso de R$ 15,00. 
A exposição funciona de segunda à sexta, das 9 às 19 horas e, aos sábados, até às 13 horas. Vale a pena conferir, prestigiar o trabalho dessas artistas e, ainda, adquirir produtos de qualidade a baixo preço.



Casa Ziraldo Recebe Exposição do Curso de Educação Física da UNEC

Exposição comemorativa do Dia do Profissional de Educação Física

Corpo docente e alunos 
aproveitam para celebrar 
Dia do Profissional de Educação Física 

 O curso de Educação Física do Centro Universitário de Caratinga (UNEC) está expondo na Casa Ziraldo de Cultura, durante toda esta semana, uma amostra dos trabalhos desenvolvidos durante o estágio dos alunos. 
A exposição é composta de banners que retratam materiais para exercícios físicos e cognitivos feitos a partir de reciclados, uma ideia inovadora para enriquecer o currículo daqueles que estão se formando na área. São jogos, como xadrez, argolas, jogo da velha, entre outras atividades utilizadas nas escolas, para suprir as limitações de recursos enfrentadas pela rede pública. 
 A exposição esteve comemorando, em especial nesta quinta-feira, 1º de setembro, o Dia do Profissional de Educação Física, um marco que rememora o reconhecimento da profissão, regulamentada nessa mesma data no ano de 1998. “Hoje nós temos profissionais formados trabalhando em toda a região de Caratinga. Quanto mais o profissional se capacita, mais retorno a cidade tem. São profissionais que se dedicam para entender melhor o ser humano e explorar o movimento, para tornar a vida com mais qualidade. É um dia para comemorar”, defende o coordenador do curso, professor José Antonio Martins Júnior. 
 Já a professora Aline de Oliveira, explica o propósito do trabalho em exposição. “Foi feito um desafio aos alunos para que fizessem kits pedagógicos com materiais alternativos, cada aluno desenvolveu brinquedos de materiais reciclados, e esses itens foram aplicados nas aulas de Educação Física, nas escolas de Caratinga e região. Posteriormente a essa prática, os alunos estão escrevendo um artigo científico e se tornará, brevemente, um livro que retrata todo esse trabalho, dando a contribuição do curso de Educação Física para as escolas de Minas Gerais”. Aline conta também que os banners tem o intuito de divulgar os benefícios da prática esportiva e da importância do profissional de Educação Física para a região. “Práticas inovadoras no âmbito escolar, sensibilização para as questões ambientais, motivação durante as aulas de Educação Física, aperfeiçoar o desempenho pedagógico do profissional, esses são alguns do benefícios que esse trabalho irá proporcionar para as crianças, professores e todos os profissionais dessa área”, ela conclui. “Uma prova de que nossa profissão requer muita dedicação e estudo é esse trabalho que a gente traz aqui hoje, com materiais alternativos, muita criatividade. 
E nada melhor que o dia de hoje, que é o Dia do Profissional de Educação Física, para apresentarmos um pouco da nossa profissão. Esse ano é ainda mais especial para mim, porque estou me formando e em breve vou ingressar no mercado de trabalho, com toda bagagem motora e pronto para trabalhar”, diz o aluno do 6º período, George Nascimento.





quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla na Casa Ziraldo de Cultura

Exposição na Casa Ziraldo de Cultura vai até sábado, 27.
Apae realiza programação especial, 
comemorando ainda os seus 42 anos. 
Exposição acontece na Casa Ziraldo de Cultura 

CARATINGA – Em comemoração à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, além dos 42 anos da Associação de Pais e Alunos dos Excepcionais (Apae) de Caratinga, a Casa Ziraldo de Cultura está com uma nova exposição. Até a sexta-feira (26), de 9h às 12h e 13h às 17h, a população é convidada a conferir um pouco sobre a história da Apae. 
Estão em exposição uma galeria de fotos de presidentes que já passaram pela unidade e trabalhos artesanais feitos pelos quase 400 alunos atendidos. Os artesanatos confeccionados também estão à venda, para angariar fundos à instituição. 
A semana de comemoração teve início com uma passeata, que contou com a participação de alunos, pais, assistidos e profissionais, saindo da sede da Apae, localizada à Rua Raul Soares, 206. 
Ontem aconteceu uma palestra no Centro Universitário de Caratinga, com o tema: “Reconhecendo, acolhendo e incluindo as diferenças”. Os palestrantes foram a psicóloga Daniela Nery Marques, psicóloga e a pedagoga Maria Claret de Faria Cimini. Hoje será realizado um culto em ação de graças pelos anos de trabalho da Apae, em sua sede, às 10h. Às 15h, acontecerá uma missa ação de graças na Igreja Nossa Senhora da Conceição. Já amanhã, será feito o encerramento do projeto “APAExonadamente conectados”, em parceria com a loja Sine Qua Non, com um desfile de moda com a participação de alunos, pais, e funcionários e lançamento da coleção primavera/verão. 
O evento será realizado na Praça Cesário Alvim, a partir das 19h. Na sexta-feira (26), além de ser o último dia da exposição, acontecerão os jogos paralímpicos internos com participação das Apaes de Bom Jesus do Galho e Manhuaçu, no Centro de Autismo, Rua D, 136, Bairro Santo Antônio, com início às 8h. 

TRABALHO DESENVOLVIDO 

Outro trabalho que está em exposição é o “método boquinhas”, que é desenvolvido com os assistidos da Apae. De acordo com Nádia Sales, do Atendimento Especial Especializado, o método é direcionado àqueles que apresentam mais dificuldades, dando três ferramentas ao aluno: letra, som da letra e a “boca” da letra. “Ele consegue se alfabetizar bem mais fácil que nos métodos convencionais. 
É um trabalho que ajuda muito nossos alunos. Ajudamos também crianças de outras escolas, que é feito com a parceria de alguns setores da Apae, como de fonoaudiologia, estimulação da linguagem, até de fisioterapia, porque os profissionais descobrem que a criança tem potencial para ser alfabetizada e já encaminha pra gente também. 
Também temos parceria da psicóloga, porque às vezes muitas crianças não aprendem por terem baixa autoestima, problemas familiares, criando uma barreira. É um trabalho que dá resultado, temos testemunhos de mães de alunos. Queríamos muito que os professores conhecessem esse método, pois dificilmente o aluno não vai ser alfabetizado”. Nádia explica que inicialmente é feita uma avaliação com a criança, para identificar se ela tem alguma capacidade de memorização. Cada criança tem o seu tempo de aprendizagem “Ou seja, se ela guarda as vogais, vai conseguir se alfabetizar. A gente faz um trabalho para ver o potencial, ela tem que ter os pré-requisitos básicos: o cognitivo, que possa sistematizar e acumular, guardar informações; atenção e a vontade. Se ela tiver essas três coisas, consegue se alfabetizar. Depois a gente começa apresentando pra ela o alfabeto, com as vogais, apresentando o som. Leva no espelho para ver a boca da letra. A gente vai para caixa de areia, faz a letra, passa para o caderninho. Montamos as palavrinhas que são as primeiras, geralmente os encontros de vogais até fecharmos o processo de alfabetização do aluno”. 

DOAÇÕES 

A Apae tem enfrentado dificuldades para manter os trabalhos desenvolvidos na entidade. Nádia afirma que é necessário apoio da sociedade. “Temos convênios com prefeituras, mas tem prefeitura que está pagando o mês de abril. Está com atraso. Por exemplo, as verbas do estado do ano passado, a cotação do feijão que estava a R$ 4 hoje é outra realidade. Tudo isso contribuiu para que a gente passasse para essa fase um pouco complicada.” As principais necessidades básicas são arroz, feijão e leite. Mas, qualquer doação de alimento será bem-vinda. “Na semana passada até fizemos um intercâmbio com as escolas que foi muito bom, nos ajudaram. Porém sabemos que a cantina encheu por um tempo, a gente sabe que acaba rápido. 
São centenas de alunos se alimentando diariamente, com café da manhã e almoço. É um trabalho que precisa de colaboração. Estamos de coração aberto, à disposição de quem queira conhecer um pouco mais sobre o que desenvolvemos”.